segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Jardim é o foco central da reforma!!

Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)

Meu cliente tem uma grande criação de carpas ornamentais japonesas e, por isso, pediu que o tanque delas fosse o foco central do jardim. Ele revelou sua intenção de passar bastante tempo na área externa, inclusive para receber, então mexemos bastante ali. Criamos, inclusive, novas áreas de circulação interligadas à residência", revela o arquiteto norte-americano Campion Platt, sobre um dos importantes objetivos da reforma que assumiu, em Nova York. Antes sem nenhuma vida, o quintal recebeu uma dose de verde e uma nova fonte, que acomoda, em sua base, os peixes do proprietário.
Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)



Um deque recém-construído segue até o novo escritório. Atendendo a pedidos, o profissional criou ali um ambiente de trabalho e, de quebra, conseguiu integrá-lo ao exterior, incentivando momentos de relax ao ar livre.
Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)

O interior da casa de três andares, com 390 m² de área e datada do início dos anos 1900, no Upper West Side, em Manhattan, foi totalmente renovado para atender aos desejos do morador, um empresário que trabalha no ramo de relações públicas. Ele pediu um equilíbrio entre ambientes íntimos e sociais, sendo que estes últimos deveriam servir para receber amigos e clientes. 
Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)
"O cliente era um grande amigo de Andy Warhol. Por isso, algumas obras do artista pop estão dispostas pelo lar. São dele, por exemplo, as telas sobre a lareira", revela o arquiteto. Ainda na sala de estar, a antiga lareira foi toda renovada. Ela recebeu duas novas molduras, que criam um efeito robusto, uma de azulejos e, ao redor desta, outra de madeira trabalhada.
Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)
Como a ação do tempo tinha danificado os revestimentos da casa, Campion precisou trocar todo o piso da residência. Ele optou por tacos de ipê, que conversam com as esquadrias e com o mobiliário, em sua maioria móveis italianos vintage, datados dos anos 1950 e 1960. 

Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)

madeira aparece em destaque no projeto, mas sem pesar. De acordo com o profissional, isso só foi possível graças ao novo alcance da iluminação natural. Ele removeu paredes estratégicas e explorou as aberturas. E, assim, a casa ficou muito mais clara. 

Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)



"O uso de espelhos como painéis nas paredes e em portas potencializam o alcance da luz natural". Eles aparecem, inclusive, ao lado da escada de metal, com ares industriais, que conecta a área social com a privativa, no andar superior.
Casa Hay  (Foto: Anastassio Mentis / divulgação)
O arquiteto conta que a intenção era adicionar ali ares contemporâneos, mas sem desrespeitar as características históricas do endereço. Elementos originais foram renovados e incorporados no novo décor. "Nós pegamos uma morada centenária e adicionamos um novo sopro de vida, alinhado ao século 21. O layout foi reorganizado, elementos espalhafatosos foram simplificados e detalhes históricos restaurados", conclui o arquiteto. 

Fonte: http://casavogue.globo.com/Interiores/casas/noticia/2015/08/jardim-e-o-foco-central-da-reforma.html
Site: www.villamudare.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário